quarta-feira, 21 de junho de 2006

Há pérolas em conchas tão simples

Lido Por Aí

"Porque ninguém pode saber por ti.
Ninguém pode crescer por ti.
Ninguém pode buscar por ti.
Ninguém pode fazer por ti o que tu mesmo deves fazer.
A existência não admite representantes."

3 comentários:

João Henriques disse...

Caio Fernando Abreu. Sobretudo no conto «Os dragões não conhecem o paraíso». Chegou-me às mãos por acaso e ainda estou deslumbrado com a escrita dele.
Como descobriste O crime de laio?
Um abraço

Mariana Passaglia disse...

É isso aí...nós somos o personagem principal da nossa vida neh...só a gente pode tomar as rédias das situações opu então pisar fundo na tábua!

Anônimo disse...

Olá!

Pô, bom poema. Se bem que eu não concordo inteiramente com ele. Eu teria preferido uma versão assim:

"Porque ninguém DEVERIA pode saber por ti.
Ninguém DEVERIA crescer por ti.
Ninguém DEVERIA buscar por ti. (...)"

Pois já vi e já senti que outras pessoas PODEM assumir o papel de outrem. Sim, isso é extremamente prejudicial, contudo, é possível.

Mas a idéia geral é perfeita.

Abraços!

Tiago