sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

tempo

Grande mentira aquele ditado que diz que as pessoas não mudam. Os anos passam e a cada dia me sinto uma pessoa completamente diferente. Hoje, véspera da véspera de aniversário, várias reflexões desses últimos tempos, de tudo o que anda acontecendo aqui dentro, afloraram como se tivessem vida própria.

A idade está me deixando mais sensível e emotivo. Surpreende-me a quantidade de vezes em que me sinto frágil, apesar de (tentar) não demonstrar isso. Surpreende-me o arrepio que nasce na nuca e desce até se perder por todo o corpo, e que não acontecia antes. Surpreende-me a percepção mais aguçada. Vejo cada vez mais coisas que antes eu não via. Sei identificar intenções sutis nos comportamentos alheios e ler (talvez até equivocadamente) o que gestos camuflados ou sufocados querem dizer.

Tenho muitas dificuldades aparecendo também. Está cada vez mais difícil resistir às tentações do mundo. Está cada vez mais difícil me manter saudável. Cada vez mais difícil combater a lascívia. E conciliar todo o turbilhão de acontecimentos, sensações, pensamentos, pessoas... Sinto-me bem com tudo isso. Sinto-me bem com a idade.

Não quero que isso mude. Eu gosto da vida intensa. Gosto do excesso, da sobrecarga. Sou o tipo de pessoa que funciona bem sob pressão, quando a vida corre alucinada. Ainda que de tempos em tempos precise de férias de mim mesmo (e nem assim consiga tirá-las).

Meu único pecado (e talvez seja bom jogar a culpa na idade) é que com o tempo, aumentam as exigências. Com o tempo certas coisas não bastam mais. Tenho um pouco de medo disso. Tenho um pouco de medo de chegar lá adiante e descobrir que não segui o caminho certo, ainda que não exista um caminho. De me tornar exigente demais, avarento, obsessivo. Às vezes já me acho obsessivo. Às vezes olho no espelho e já vejo o que eu não queria. E em geral sinto que certas forças que eu tinha já se foram e não voltam mais. Em geral sei que o tempo não vai ser suficiente. Porque temos que passar por isso?

Um comentário:

heartless disse...

interessante esse post a respeito da mudança. Juro que o questionamento que mais me atormenta em toda a minha vida é se as pessoas mudam. será que elas mudam? eu mudo, mas não mudo em tudo. e então caímos naquela frase que estava no meu blog, se mudamos por que não mudamos as coisas que são piores, por preguiça? realmente não sei, e acho que no dia que chegar a uma conclusão eu vou morrer, afinal é isso que acontece não é? ai, ai, quanto tormento. hehe
algumas coisas...
parabéns!
parabéns pela faculdade!
e feliz ano novo! (atrasado, mas nunca é tarde)
se cuida! =)