terça-feira, 3 de outubro de 2006

Palavras

As palavras me antecedem e ultrapassam, elas me tentam e me modificam, e se não tomo cuidado, será tarde demais: as coisas serão ditas sem eu as ter dito. Ou, pelo menos, não era apenas isso. Meu enleio vem de que um tapete é feito de tantos fios que não posso me resignar a seguir um fio só; meu enredamento vem de que uma história é feita de muitas histórias. E nem todas posso contar - uma palavra mais verdadeira poderia de eco em eco desabar pelo despenhadeiro as minhas mais altas geleiras. Assim, pois, não falarei mais no sorvedouro que havia em mim enquanto eu devaneava antes de adormecer.

C.L.

.:*:.

Clarice sempre Clarice. Este é o texto que abre um dos livros que chegaram hoje, via correio, sobre a sensibilidade no texto publicitário. A escolha foi um tanto insegura, no escuro, mas creio que vou gostar muito do texto. E gostei mais ainda da abertura...

2 comentários:

Guilherme disse...

Clarice... I have a huuuge crush on this girl!!! rsrs
Fora as brincadeiras, ela é demais... Ainda mais falando das palavras, que pra alguns são um dom e um calvário permanentes.
Ótimo texto dela... Abraço.

:: renata :: disse...

amo ela!