segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Limite Branco

"Quando se deseja realmente dizer alguma coisa, as palavras são inúteis. Remexo o cérebro e elas vêm, não raras, mas toneladas. Deixam sempre um gosto de poeira na boca - a poeira do que se tentava expressar, e elas dissolveram. Quanto mais palavras ocorrem para vestir uma idéia, mais essa idéia resiste a ser identificada. As sucessivas roupas sufocam a sua nudez. E todas as palavras são uma grande bolha de sabão, às vezes brilhante, mas circundando o vazio."

Caio Fernando Abreu

2 comentários:

João Henriques disse...

estou cheio de curiosidade relativamente ao Limite Branco. pela amostra, promete...
Espero que estejas bem. Um abraço

Bya Magoliver disse...

wow...